fragmentos do diário X – breves de 2001

Abro este diário e recomeço a chorar. 9 Março

Já não me ama. Sei lá há quanto tempo me terá deixado de amar. 11 Março

Procurei o diário durante mais de uma hora, para depois o encontrar devidamente arrumado no sítio que lhe compete.
Não há nada na minha vida que realmente valhe a pena. Por isso, choro muitas vezes ao acordar.
Sinto-me doente e sem forças.
Custa-me escrever porque é doloroso encarar a minha vida hoje. 12 Julho

Medo de ficar só. Que todos morram num acidente e me deixem aqui. 14 Julho

Quinze páginas de diário em um ano. 15 Julho

Acordo e caminho pela casa vazia, tomo banho, faço o almoço à hora de jantar, sento-me a trabalhar, volto a levantar-me e a caminhar pela casa. 1 Agosto

Hoje amo o amor com que te amei.
Uma tristeza enorme. O olhar de “R” preso na memória. Como se me dissesse que ainda sou dela. Mas não – já não sou. 2 Setembro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>